O que são as plataformas e o que amplia tanto sua capacidade de aumentar margem?

O modelo de plataforma parece uma novidade, mas ele existe há milênios. Se você pensar em feiras medievais que conectavam produtores e consumidores, por exemplo, o gestor dessa feira era uma plataforma.

Por definição, elas são, essencialmente, quem administra, cria a estrutura e a governança para que as relações entre produtores e consumidores sejam cada vez mais fortes.

Com a tecnologia, esse modelo só passou a viabilizar diferentes maneiras de ganhar escala com menos custo — e por isso temos escutado tanto sobre ela.

Rodrigo Nasser, sócio-fundador da Itu Partners, explica que saímos de uma economia baseada na construção de ativos proprietários como barreiras de entrada. Agora, com ativos digitais simples, o foco passa a ser criar um efeito positivo de rede. Ou seja, conforme a comunidade cresce, sendo bem gerenciada, ganha capacidade de agregar mais valor a cada usuário.

Isso é possível quando a plataforma tem a sensibilidade de se colocar no lugar de cada um dos lados e equilibrar o que cada um precisa e espera. É uma maior variedade de ofertas? Maior quantidade de compradores? Recursos de interação diferenciados?

Se por algum motivo esse equilíbrio não é mantido, o efeito de rede é negativo.

O que você desenvolve para garantir isso, portanto, é o que vai ser a sua barreira de entrada. E então, quanto mais altos você conseguir manter seus índices de satisfação e mais baixos forem suas taxas de churn e seu custo de aquisição por cliente, mais bem sucedida será sua plataforma.

**Este texto foi originalmente publicado em: https://endeavor.org.br/tecnologia/negocios-de-plataforma-como-gerar-um-efeito-positivo-de-rede-para-maior-escalabilidade/

Comentários no Facebook