As oscilações do Bitcoin não param, apesar de sensível estabilidade alcançada com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. Hoje, o valor criptomeda caiu abaixo dos US$8.000 (R$32,7 mil, em conversão direta), atingindo seu nível mais baixo desde junho de 2019. Ela chegou então a valer US$7.831,92 no início do dia, antes de reduzir suas perdas e se estabelecer em US$8.313,43.

A queda na cotação do Bitcoin é de cerca de 31% em relação à sua alta anual, que é de US$12.921, embora os medos da recessão global e a venda de ativos tenham contribuído a seu favor nos últimos meses. A moeda digital tem se apresentado como alternativa às tensões geopolíticas, que afetam diretamente ações e títulos.

O Bitcoin subiu acima de US$12.000 no início de agosto de 2019, depois que a China, em resposta as sanções comerciais americanas, permitiu a desvalorização da sua moeda local, o Yuan, que fechou a cotação mais baixa dos últimos 11 anos em relação ao dólar.

A notícia, que valorizou o Bitcoin, foi uma bomba para os mercados financeiros, quando as bolsas da Europa e da Ásia fecharam com queda acentuada. Seguindo a tendência, em Nova York, o índice Dow Jones caiu quase 3%, marcando o seu pior desempenho do ano.

Comentários no Facebook