Agosto foi um mês difícil para o mercado acionário, com o Índice Bovespa chegando a bater a mínima de 95.855 pontos em meio à piora na guerra comercial entre Estados Unidos e China e crise na Argentina. O Índice Bovespa conseguiu se recuperar no fim do mês, mas ainda assim perdeu 0,7% em agosto. Para setembro, a expectativa é mais positiva, tanto pelo cenário externo quanto pelo interno. A retomada das negociações entre chineses e americanos foi agendada para outubro e a reforma da Previdência avança no Senado.

E a expetativa é boa também para o médio prazo. O Itaú BBA mantem a perspectiva positiva em relação ao Ibovespa, com um preço-alvo de 132.000 pontos para o final de 2020. Segundo o banco, a bolsa brasileira está ingressando em uma tendência de alta (Bull Market), alimentada por i) abundante liquidez global, conforme evidenciado pelas baixas taxas de juros globalmente e ii) uma agenda econômica positiva no Brasil.

O banco acredita que o Brasil está pronto para desfrutar de um período de taxas de juros excepcionalmente baixas, estimadas pela equipe econômica do Itaú (SA:ITUB4) em 5% ao ano em dezembro. Esta tendência provavelmente terá um impacto muito positivo sobre as ações, uma vez que: i) os Lucros das companhias devem aumentar devido a menores despesas financeiras; ii) os valores das companhias aumentarão em função de menores taxas de desconto; e iii) os investidores deverão reduzir sua exposição aos instrumentos tradicionais de renda fixa, procurando alternativas com retorno maior, como as ações.

As indicações das 19 corretoras acompanhadas pelo Portal do Pavini para este mês reflete esse cenário positivo. Há três grandes bancos e muitas empresas de varejo, que se beneficiarão de uma queda nos juros e de alguma retomada da atividade. Petrobras (SA:PETR4) também está na lista, com boas perspectivas pela venda de ativos e reestruturação da empresa, e a Vale (SA:VALE3) pela recuperação após a tragédia do rompimento da barragem de Brumadinho. BRF (SA:BRFS3) pode se beneficiar dos problemas com a peste suína na China, que está puxando os preços da carne de porco e deve impactar também as exportações de frango. Confira abaixo as 17 ações com mais indicações dos analistas.

As preferidas das corretoras

SetembroCódigoIndicações
Petrobras PN (SA:PETR4)PETR412
Itaú Unibanco (SA:ITUB4) PNITUB410
Bradesco (SA:BBDC4) PNBBDC49
Lojas Renner (SA:LREN3)LREN36
Vale ON (SA:VALE3)VALE36
BRF ON (SA:BRFS3)BRFS35
IRB Brasil ON (SA:IRBR3)IRBR35
Pão de Açúcar (SA:PCAR4) PNPCAR45
Localiza (SA:RENT3) ONRENT35
Suzano (SA:SUZB3) ONSUZB35
B3 ONB3SA3 (SA:B3SA3)4
Banco do Brasil (SA:BBAS3) ONBBAS34
CVC Brasil (SA:CVCB3)CVCB34
JBS ON (SA:JBSS3)JBSS34
Magazine LuízaMGLU3 (SA:MGLU3)4
Rumo ON (SA:RAIL3)RAIL34
Usiminas (SA:USIM5) PNAUSIM54

Sete carteiras sobem em agosto

No mês de agosto, as carteiras de sete corretoras conseguiram fechar o mês com ganhos, contrariando a tendência do Ibovespa. com retornos de até 5% (ver abaixo).

Setembro pode trazer uma recuperação marginal para a bolsa brasileira, acredita Glauco Legat, analista-chefe da Necton Investimentos. Além disso, ao longo do mês, caso confirmado um cenário mais benigno, a corretora espera uma série de novas captações via aumentos de capital e potencialmente até novas aberturas de capital (IPOs). Na visão da corretora, o mercado brasileiro de renda variável ainda segue bastante atrativo, com uma estimativa de 112.000 pontos para o Ibovespa ao final deste ano. A corretora retirou Itaúsa (SA:ITSA4) da carteira e adicionou o laboratório Hermes Pardini (SA:PARD3).

Já a Bradesco Corretora observa que, após o índice bater recordes históricos, o cenário externo trouxe maior aversão ao risco em agosto e deve ainda trazer momentos de volatilidade por algum tempo. Por isso, a corretora recomenda que os investidores busquem alternativas para minimizar os riscos, especialmente por meio da diversificação. As carteiras da corretora em setembro dão prioridade a papéis mais sensíveis a taxas de juros baixas e que se beneficiem da retomada econômica. Empresas eficientes e com sólida geração de caixa também são indicadas.

Fonte: corretoras. As indicações não consideram eventuais sugestões de peso para cada papel. A rentabilidade foi informada pela corretora.

Fonte: Arena do Pavini / Investing

Comentários no Facebook