Em 14 de junho, a Binance anunciou que bloquearia clientes dos Estados Unidos da negociação na plataforma. De acordo com o CEO Changpeng Zhao, o movimento foi feito porque “a dor a curto prazo é necessária para ganhos a longo prazo”.

A bolsa elaborou ainda que os usuários teriam 90 dias para adotar os novos termos. Os clientes americanos que não cumprirem os novos termos de serviço até 12 de setembro perderiam o acesso às suas carteiras e não poderiam fazer depósitos ou negociar na Binance.com (as retiradas ainda seriam permitidas).

Considerando que a Binance é a maior bolsa por volume de transações, e que estima-se que 20% do tráfego da bolsa venha dos Estados Unidos, centenas de criptoativos de nicho se tornariam muito mais difíceis de comprar e vender – destruindo a liquidez das altcoins.

Até agora, Binance se moveu por diversas jurisdições pelo menos cinco vezes. Começando em Hong Kong, a bolsa mudou-se para Cingapura, Japão, Taiwan, Ilhas Cayman e finalmente se estabeleceu em Malta.

A Binance mantém seus ativos quase exclusivamente em criptomoeda, eliminando a necessidade de custódia e vigilância pelos governos. Mesmo o próprio Changpeng Zhao é conhecido por se mudar de país em país a cada poucas semanas para limitar seus riscos pessoais e ofuscar seu paradeiro.

No entanto, em um movimento que foi uma surpresa para muitos, a Binance está optando voluntariamente por aderir aos regulamentos dos EUA.

Mais importante, parece que a Binance está estrategicamente optando por se envolver voluntariamente em “conformidade regulatória completa” para sua subsidiária americana. Como dito por Changpeng Zhao.

“Estamos animados para finalmente lançar o Binance.US e trazer segurança, velocidade e liquidez a Binance.com para a América do Norte. A Binance.US será liderada pelo nosso parceiro local BAM e servirá o mercado dos EUA em total conformidade regulatória. ”

No entanto, como uma tendência geral, as bolsas dos EUA estão ficando para trás em relação às suas contrapartes internacionais e a razão parece ser o alto custo de conformidade. Apenas dois anos atrás, as bolsas dos EUA representavam cerca de 65% do volume de negócios. Hoje, está abaixo de 20%, com a Binance absorvendo em grande parte essa parcela de mercado perdida.

Fonte: Money Times

Comentários no Facebook